O que é a Catolé?

Catolé é uma newsletter quinzenal para falar sobre jornalismo, dados públicos e transparência em Pernambuco, escrita por Paulo Veras.

Na Catolé, você vai encontrar reportagens, dicas e entrevistas sobre esses temas. Ela é parte de um esforço pessoal de estimular a saída do jornalismo de dados do eixo Rio-São Paulo e dar a ele um sotaque nordestino, usando essas ferramentas para falar de Pernambuco.

O Nordeste é a região do Brasil que tem o menor IDH e o maior número de desertos de notícia, já que 73,5% dos municípios nordestinos não têm nenhum meio de comunicação.

Catolé nasceu em 2021 durante a minha participação no Entrepreneurial Journalism Creators Program da Newmark J-School, na The City University of New York.

Quem sou eu?

Eu sou um jornalista formado pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). Fui repórter da Folha de Pernambuco e do Jornal do Commercio, onde atuo como editor assistente de Política e checador no Projeto Comprova. Participei da 64ª turma do Programa de Treinamento da Folha de S. Paulo, e tive a oportunidade de trabalhar nas editorias de Mundo e na Ilustríssima, trabalhando na coluna Casos do Acaso.

Além do meu trabalho como jornalista, eu sou voluntário do Brasil.IO na abertura de dados sobre a Covid-19 no Brasil. Em 2020, integrei uma das duas equipes brasileiras no CodeTheCurve, hackathon internacional promovido pela Unesco, IBM e SAP.

Por que ‘Catolé’?

Catolé é uma palmeira comum na Mata Atlântica. As madeiras, as folhas e os frutos da Catolé construíram e alimentaram o Quilombo dos Palmares; maior levante anti-escravidão da história brasileira. E é de lá que eu venho. Minha família é de União dos Palmares, em Alagoas, cidade onde está a Serra da Barriga, principal sede de Palmares.

Pra mim, Catolé é, ao mesmo tempo, a origem e o ideal. É a luta e a libertação. E é a jornada.